Descomplicar as mudanças

mudançasMudanças são inevitáveis! Grandes ou pequenas. Às vezes queremos que as coisas mudem na nossa vida, mas o medo atrapalha. Daí à resistência à mudança é um passo e daqui ao conflito interno é um outro passo, segue-se o bloqueio e a insatisfação. Temos muitos sonhos, desejos, ambições e aspirações mas tudo isso implica algum risco. Queremos a mudança sem mexer muito com a nossa segurança. Queremos a mudança mas com garantia, mas a Vida não tem Seguro. Adoro uma frase de Helen Keller: “A Vida é uma aventura audaciosa, ou não é nada. A segurança é geralmente uma superstição, ela não existe na Natureza.”

Às vezes queremos as coisas fáceis, fáceis, sem termos que nos implicar, evitando participar activamente no processo de mudança. Queremos uma vida melhor ou uma outra vida, com mais sentido, mais sumarenta, seja viver um outro amor, novas amizades, um novo trabalho, uma outra casa, uma outra cidade ou até um outro país e por aí vai. A dificuldade em abraçar a mudança começa em nós, na nossa percepção negativa ou pessimista. Espera-se o pior, enrolados numa espiral descendente, a nossa imaginação transporta-nos para os cenários mais fantasmagóricos, frequentemente pouco prováveis e assim, e medo agiganta-se, gera ansiedade, paralisa, e o mais grave, tira-nos a clareza mental para as soluções e encontrar o melhor curso de acção. Sim, devemos ser cuidadosos e prudentes, observar e analisar as possibilidades, mas não obstinadamente cautelosos.

mudançasA atitude face à mudança revela, proporcionalmente, a nossa própria facilidade/dificuldade em mudarmos aspectos de nós mesmos, desenvolvermos novas atitudes. Outro grande obstáculo à mudança baseado na insegurança é o excesso de controlo. Fechados na nossa mente, num rodopio mental, revisamos e analisamos os mínimos detalhes numa pré-ocupação e perfeccionismo desconcertante e desgastante levando, por vezes, a uma perda de energia vital.

Porque mudar é preciso? Porque é a essência da Natureza e da vida humana. Somos naturalmente equipados para a mudança mas nós atrapalhamos um mecanismo que é inato. Mudar, mais do que um desejo é uma necessidade. Atingir novas realizações, vivenciar outras experiências dão-nos um sentido de propósito, de vitalidade.

O sentimento de auto-realização, contentamento e bem-estar pessoal, objectivos da alma humana, só possíveis de atingir quando estamos dispostos a explorar todas as possibilidades desta grande aventura que é a vida.

Shivai