Creme de tomate com ovo “estralfado” e croutons de alecrim

tomateO nome desta receita bem que poderia ser “Aconchego”, porque é aqui, neste aconchego alentejano para onde fugimos algumas vezes (não tantas quanto gostaríamos) para carregar baterias. “Zenar” como gosto de designar aqueles momentos em que nos permitimos deixar ir, sem relógios, telefones, televisão, computadores e WiFi´s.

A comida simples, feita com aquilo que está mais à mão e de preferência com temperos e aromas do quintal é parte integrante e fundamental nestes dias de retiro.

No verão, no Alentejo, o tomate é Rei!

E é com este fruto que, por aqui neste refúgio, competimos saudavelmente entre nós com sopas e migas. Cada um tem a sua receita que pode variar de acordo com a inspiração do momento. Eu escolhi partilhar convosco a minha versão de uma sopa ou melhor, um creme de tomate, com ovo “estralfado” sim é este o nome, já explico mais à frente e uns gulosos croutons de pão alentejano e alecrim com flor de sal.

Vamos a isto!!!

Creme de tomate com ovo “estralfado” e croutons de alecrim
(4 pessoas)
  • 8 (+/- 400g) tomates maduros
  • 1 (+/- 200g) batata doce
  • 1 (+/- 4 cl. sopa) cebola picada
  • 4 dentes de alho picados
  • 1 cl. sopa de alecrim (preferência fresco)
  • Azeite
  • Sal (a gosto)
  • Pimenta (a gosto)

Primeiro vamos preparar tudo. Picar a cebola e o alho. Pelar o tomate e cortar em cubos. Descascar e cortar em cubos a batata doce.

Agora sim…vamos à sopa!

Num tacho alto regar o fundo com azeite e quando este estiver quente juntar a cebola e o alho, deixar refogar bem até atingir quase o ponto de caramelização, ou seja, quando verificar que esta a ficar bem dourada…no entanto sem deixar queimar.
Juntar o tomate, a batata, o alecrim e um copo de água. Mexer bem, tapar o tacho e em lume baixinho…aguardar…sem pressas. De vez em quando vá lá “acordar” a sopa com uma mexedela e volte a tapar o tacho. Se verificar que toda a água já foi absorvida e os ingredientes ainda não estão cozidos, pode juntar mais um pouco de água. Lembre-se que o objectivo é fazer um creme, muita água pode arruinar o final.

Quando verificar que a água foi absorvida pelos ingredientes, o tomate está cozido e desfeito e a batata também bem cozida…então está pronta para a próxima fase.

Retirar do lume. Passar tudo com a varinha mágica e depois por um coador para que apenas fique um creme sem vestígios de qualquer um dos ingredientes, grainhas e afins. Se estiver demasiado grossa pode juntar um pouco de água até obter a consistência necessária, mas leve novamente ao lume para unir tudo, até levantar fervura, não mais.
Temperar com sal e pimenta a gosto. Escolher um terrina bem catita para servir. Mas antes de levar à mesa preparar os acompanhamentos.

Croutons de Alecrim
  • Pão Alentejano
  • Azeite
  • Alecrim (preferência fresco)
  • Flor de sal

Pré aquecer o forno nos 180º/200º.Numa saladeira juntar ao pão cortado aos cubinhos, alecrim ligeiramente picado, regar com azeite e salpicar com um pouco de flor de sal (não muito), envolver muito bem. Dispor tudo num tabuleiro forrado a papel vegetal e levar ao forno a tostar. Virar de vez em quando para ficar mais uniforme. Depois de tostado colocar numa cestinha e salpicar um pouco mais com flor de sal.

Ovo “Estralfado”
  • 1 ovo p/pess.
  • Pimenta caiena

Chamo-lhe assim porque a técnica não obedece aos critérios exigidos para elaborar o ovo escalfado e nem “estrelado” uma vez que não é frito em azeite. Logo é um ovo “ESTRALFADO”. Ainda não patenteei o nome, usem-no à vontade.

O processo não poderia ser mais simples. Uma frigideira anti-aderente. Água a cobrir o fundo. Deixar ferver. Juntar um ovo de cada vez. Aguardar até a clara ficar branca. Ajudar com uma colher a cobrir a gema puxando a água das bermas da frigideira e com uma espátula não deixar o ovo colar ao fundo. Depois é a gosto. Mais cozido…menos cozido.
Numa travessa pincelar o fundo com azeite apenas para não colarem e ir dispondo dos ovos, um a um. Antes de servir salpicar com pimenta caiena.

Agora é só servir o creme de tomate em pratos fundos. A qualquer temperatura, quente ou frio é fantástico. Juntar o ovo e os croutons. Eu gosto e aconselho, individualmente, a regar com um fiozinho de azeite e uma pitadinha (muito pequenina) de flor de sal. E depois…respirar fundo…fechar os olhos e saborear o momento.