2018: faça compromissos consigo mesmo

Ano Novo, vida nova.

Já faz parte da tradição. Vemos o Novo Ano como uma lufada de ar fresco, uma nova oportunidade, um recomeço. Achamos que agora é que vamos mudar a nossa alimentação, estilo de vida, vamos fazer aquilo que temos vindo a adiar. Quando chega a meia-noite, ao som do fogo de artifício, comemos as 12 passas e pensamos naquilo que desejamos para o novo ano. Há algo de mágico e encantador à volta deste ritual.

Se aproveitou o Ano Novo para realmente fazer as mudanças que há tanto tempo tinha a intenção de fazer, ainda bem. O importante é que, caso as coisas não aconteçam ao ritmo que esperava, não desanime. Lembre-se que não precisamos de um novo Ano para finalmente fazermos aquilo que é melhor para nós. Amanhã, pode sempre ser o dia em que começamos de novo. E não se esqueça que, durante o ano deve rever e reavaliar aquilo que pretende, as suas intenções e os seus novos compromissos.

Não seja demasiado exigente

Muitas vezes estamos a querer exigir demasiado de nós mesmos e, passado umas semanas, na maioria das vezes, grande parte das nossas resoluções ficaram por terra. Mudar é algo trabalhoso. Adoptar novos comportamentos requer resiliência e sobretudo compromisso. Compromisso connosco de que apesar de ser mais fácil, não nos vamos deixar levar pelo costume. Vamos fazer diferente. O compromisso pressupõe tempo, pressupõe altos e baixos. Pressupõe que nem sempre conseguiremos mas há uma continuidade e um sentido a longo prazo.

Por isso, mais do que resoluções de Ano Novo, devemos fazer compromissos connosco e recordar que as mudanças levam o seu tempo e a nossa atenção. Para serem mudanças sólidas e alinhadas connosco.

Seja metódico

Dificilmente conseguimos levar a cabo muitas alterações ao mesmo tempo quando são de diferentes áreas da nossa vida. É importante estabelecer prioridades. Perceber não só o que é mais importante mas também aquilo que seria realizável no momento presente da sua vida. Por vezes, algumas mudanças falham porque não são oportunas ou são demasiado exigentes a dado momento, mas mais tarde, já serão possíveis.

Para ser mais fácil identifique as diversas áreas da sua vida. Pode ser: saúde, família, casa, trabalho, finanças pessoais, entre outros. Olhando para cada uma delas veja o que faz sentido para si, como gostaria que fosse e o que é possível. Crie objetivos concretos e fáceis de identificar.

Faça uma lista daquilo que pretende e estabeleça um ranking. Veja se algumas das intenções estão relacionadas e por isso podem ser feitas em simultâneo. Para cada uma delas, identifique quais são as acções necessárias. Mas não seja muito extenso. Um dos segredos das mudanças bem sucedidas é manter o processo simples.

Vá à origem das coisas

Quando olhar para a lista de coisas que pretende mudar, vá à sua origem. Não se contente com o resultado final. Imagine que gostaria de emagrecer alguns quilos.  Pode ser por uma questão estética mas mais importante, por uma questão de saúde. Se se focar no resultado final, provavelmente vai escolher uma dieta para seguir e fazer mais algum exercício. Na maioria dos casos, acabamos a desanimar com a dieta porque nos custa, porque não vemos resultados imediatos, porque não temos vontade de fazer exercício.

Se for à origem das questões, ao pensar que gostaria de emagrecer uns quilos, pense também como o seu corpo é importante, pois sem ele não há vida. Como você depende do seu corpo para viver. E como a sua saúde é fundamental. E que por isso, faz todo o sentido ter uma alimentação equilibrada e fazer actividade física regular. Cuidar do seu corpo deixará de ser um esforço mas sim algo com sentido. Este será o seu principal objectivo. Consequentemente terá mais energia, será mais saudável e provavelmente irá conseguir atingir o seu peso ideal. Será um processo mais lento, mas sólido e de verdadeira mudança.

Seja resiliente e sobretudo seja gentil consigo mesmo.