Publicado em

Dia de Natal

christmas

Chove. É dia de Natal.
Lá para o Norte é melhor:
Há a neve que faz mal,
E o frio que ainda é pior.

E toda a gente é contente
Porque é dia de o ficar.
Chove no Natal presente.
Antes isso que nevar.

Pois apesar de ser esse
O Natal da convenção,
Quando o corpo me arrefece
Tenho o frio e Natal não.

Deixo sentir a quem quadra
E o Natal a quem o fez,
Pois se escrevo ainda outra quadra
Fico gelado dos pés.

Fernando Pessoa

Em O Grande Livro do Natal Português

Publicado em

Searinhas do Menino Jesus

No Alentejo, Algarve e na Madeira é costume, um mês antes do Natal, ou então no dia 8 de dezembro, dia de Nossa Senhora da Conceição, fazer as searinhas, sementeiras ou searas do Menino Jesus.

Colocam‑se alguns grãos de trigo em pequenos pires de louça ou de barro com um algodão levemente humedecido com água, e espera‑se que germinem. Até ficarem pequenas searas, vai‑se mantendo o al‑ godão húmido. Em algumas terras, em vez do trigo, colocam‑se sementes de centeio, milho, linhaça, ervilhaca ou até grão‑de‑bico.

Mais perto do Natal, o presépio é adornado com estas “searinhas” e laranjas que rodeiam Jesus, ocupando assim as pequenas searas um lugar de honra no presépio. As “searinhas” são lá colocadas para que o menino abençoe o trigo, e as laranjas, de modo a que nunca falte pão em casa. Em algumas casas, na noite de Consoada, as searinhas são colocadas na mesa.
Passado o Dia de Reis, as searinhas são transplantadas para a terra.

Em O Grande Livro do Natal Português

Publicado em

A Lenda das Rabanadas

Sobre este tradicional doce natalício e que tantos de nós adoramos, seja rabanadas de leite ou até rabanadas de vinho, diz a lenda:
Há muitos anos, uma jovem mãe, com um filho recém-nascido, era tão pobre que, depois de dias sem ter de comer ficou sem leite para amamentar.
Decidiu então, na aldeia onde vivia, bater de porta em porta pedindo um pouco de pão.

Um dos habitantes, sensibilizado com a si tuação desta jovem mãe, deu-lhe pão duro, um pouco de leite, um ovo e açúcar.
Com estes ingredientes, a jovem mãe fez uma sopa. E mal acabou de comer, subiu-lhe o leite ao peito. Nos dias seguintes, foi comendo sempre a sopa e foi tendo cada vez mais leite para amamentar.
Até que o leite era tanto que passou a ser ama de leite para outras crianças e assim, saiu da pobreza.

Em O Grande Livro do Natal Português

Publicado em

Bolo-rei

Ingredientes:

  • 130 gr. de manteiga
  • 3 ovos
  • 130 gr. de açúcar
  • 3 colheres de sopa de Vinho do Porto
  • 2 dl. de leite
  • 500 gr. de farinha
  • 20 gr. de fermento do padeiro
  • Frutas cristalizadas q.b.
  • Amêndoas q.b.
  • Nozes q.b.
  • Pinhões q.b.

Misture o fermento com o leite e um pouco de farinha. Deixe levedar cerca de duas horas.

Coloque a restante farinha num recipiente grande e junte o preparado do fermento, os ovos, a manteiga previamente amolecida, o açúcar e o vinho do Porto.

Amasse muito bem. Junte os frutos secos. Pode também adicionar algumas das frutas cristalizadas, cortadas aos pedacinhos.

Quando começar a fazer bolhas junte as frutas e estenda a massa em forma de rosca, colocando-a num recipiente com buraco, untado com manteiga.

Deixe levedar durante umas horas, cobrindo com um pano por cima e colocando num sítio seco e escuro.

Pincele com gema de ovo, coloque as frutas cristalizadas por cima e coza em médio forno até ganhar uma cor dourada.

No livro O Grande Livro do Natal Português, Self 2020