Publicado em

Saber Respirar para ter Mais Saúde

respirar

No geral, respiramos de forma inadequada e usamos a respiração apenas para sobreviver. Isto prejudica a nossa capacidade de lidar com situações de tensão, moderar emoções difíceis e, francamente, levar uma vida longa e saudável. Este problema afeta quase toda a gente, de maneiras diferentes. Respiramos com frequência. Em média, o ser humano respira entre 12 a 20 vezes por minuto, dependendo da sua personalidade. Trabalhei com clientes que até respiravam com mais frequência.

Embora esta possa parecer uma boa média, a verdade é que a Mãe Natureza recompensa com mais longevidade os membros do reino animal que respiram menos vezes por minuto. O rato selvagem respira entre 80 e 200 vezes por minuto e vive apenas três anos. A tartaruga gigante, conhecida pela sua esperança média de vida de 150 anos, só respira quatro vezes por minuto. Quando não estou a praticar técnicas de Ioga, só respiro cerca de seis vezes por minuto.

Temos uma respiração superficial. Algures ao longo da História, começámos a chamar «respiração profunda» a uma respiração que usa toda a capacidade dos pulmões. Este tipo de respiração inclui a expansão do abdómen e uma inalação e expiração prolongadas e controladas. O termo «respirar fundo», na verdade, é incorreto, pois, quando usamos toda a capacidade dos nossos pulmões, não estamos a respirar fundo — estamos simplesmente a fazer a respiração completa que devíamos fazer sempre.

Sustemos a respiração. Quer seja porque estamos tensos por recearmos que aconteça algo negativo ou porque estamos concentrados no que estamos a fazer, e perdemos toda a noção de nós mesmos, ou porque um iogue maroto decide brincar connosco, fazendo-nos perguntas frustrantes durante uma consulta, sustemos a respiração frequentemente.
Poderá estar a pensar que muitas pessoas nunca se preocupam com a própria respiração, mas vivem por tempo suficiente, aguentam o stress e seguem com a sua vida. 

Embora a respiração inapropriada possa manter nos vivos, prejudica a nossa saúde e exacerba as nossas emoções. E se o objetivo da vida é sermos saudáveis e felizes e encontrarmos o nosso propósito espiritual, respirar apenas para sobreviver permite-nos realizar somente uma pequena fração do nosso potencial.

A respiração e a saúde

Os iogues antigos diziam que nos era atribuído um determinado número de respirações em cada vida. Ao respirarmos com frequência, gastamos muito mais depressa esse quinhão e prejudicamos a nossa longevidade. Quando usamos a capacidade total dos nossos pulmões, estes tornam-se mais eficientes. A partir daí, são capazes de transmitir mais oxigénio aos biliões de células do corpo e podem expelir todas as impurezas tóxicas do organismo. Isto evita o aparecimento de doenças e ajuda o corpo e a mente a funcionarem ao máximo das suas capacidades. Suster a respiração tem um impacto prejudicial na nossa saúde, pelas mesmas razões subjacentes à nossa necessidade geral de respirar.

Se sustemos a respiração frequentemente, estamos a limitar a capacidade do nosso sistema respiratório de nos manter livres de doenças. Isso significa que se sustivermos a respiração por alguns momentos vamos morrer? Não, mas, se nos esquecermos constantemente de respirar, vamos acabar por esgotar a reserva de oxigénio do corpo, e, quando este problema não é vigiado, causa disfunções em diversos sistemas fisiológicos, especialmente no sistema nervoso, que controla as nossas emoções e níveis de stress.

Há diversos estudos levados a cabo por cientistas acerca dos possíveis benefícios fisiológicos de uma prática de controlo da respiração.

(…)

Está provado por diversos estudos que este tipo de atividade tem um impacto considerável na saúde do praticante.
Podemos comparar a respiração à ingestão de alimentos. Se o leitor só comesse grandes quantidades de fast food, talvez continuasse a alternar entre ter fome e ficar saciado e sobrevivesse. Poderia ter excesso de peso, sofrer de diabetes, adoecer com frequência e nunca ter energia, mas aceitar que a vida é assim. No entanto, o que aconteceria se um dia começasse a ingerir alimentos naturais? De repente, perderia peso. Dificilmente ficaria doente. Graças a expressões como «somos aquilo que comemos», a maioria de nós sabe associar maus hábitos alimentares a uma vida pouco saudável.

Contudo, quantos de nós sabemos que «somos aquilo que respiramos»? Quantos de nós sabemos que ter uma respiração rápida e superficial, além de suster a respiração, tem um impacto negativo tão grande como viver só de bolos? Embora possa parecer que vivemos tempo suficiente e já temos saúde que chegue, teríamos uma vida ainda mais longa e mais saudável se incorporássemos uma respiração benéfica na nossa rotina.

Uma respiração adequada leva à diminuição do stress e a um melhor funcionamento dos sistemas do corpo, incluindo o sistema nervoso. É como dar fruta e legumes aos nossos pulmões, para que o nosso corpo funcione no máximo das suas capacidades.

(…)

APRENDA A FAZER A RESPIRAÇÃO COMPLETA

Para fazer uma respiração iogue completa, expanda totalmente o abdómen, enquanto inspira por vários instantes, e depois contraia o abdómen enquanto expira, pelo dobro do tempo.

  1. Depois de terminar a sua prática de posturas de Ioga de manhã, deite se no chão, sobre as costas, com um livro grande (por exemplo, um dicionário) por perto.
  2. Pouse o livro sobre a barriga. Se costuma ter a típica respiração superficial, provavelmente não vai ver o livro a mexer-se muito, ou de todo. Deixe-se respirar assim por alguns instantes.
  3. Para praticar a respiração completa, inspire pelo nariz, permitindo que o seu abdómen expanda, mas não ao ponto de forçar a respiração ou exagerar o movimento. Observe o livro a subir.
  4. Expire lentamente pelo nariz, enquanto observa o livro a descer.
  5. Continue este processo de observar o livro a subir e a descer com a sua respiração, durante cinco ou dez minutos. Lembre-se de inspirar e expirar devagar. Assim que criar este hábito, é desta forma que irá respirar ao longo do dia.

Yogi Cameron Alborzian
Em O Verdadeiro Plano

Publicado em

Dança Feminina

DancaFeminina
Dança Feminina, com Lisiane Moresco

————————————-

Dias: todas as 5as feiras

Horário: 19h-20h

Valor por pessoa: 35 €

Local: Cowork da Praia Hub (novo espaço no Alto dos Lombos, em Carcavelos)

Morada: Rua Nova (antigo lote 19) nº 1, Loja 1 B Alto dos Lombos 2775-674 Carcavelos (ao lado da clínica veterinária)

Incrições: geral@vidaself.com

————————————-

A dança é uma arte lúdica e efémera que tem a capacidade de envolver todo o ser na sua prática de forma intensa. Ela exige que nos expressemos através do nosso corpo, onde geralmente guardamos nossos bloqueios e crenças. Por esse motivo, essa arte nos pede abertura para libertar-nos para saborearmos prazer de soltar-se na dança, sentir-se pertencente a ela.

A dança desbloqueia o físico, o mental e o emocional, que estão ligados; Proporciona prazer consigo e com seu corpo;
Ativa os chakras – centros de energia vital;
Estimula a criatividade, entre outros benefícios como aumentar a capacidade respiratória e desenvolver os grupos musculares internos como o pilates, e a perda de peso e definição muscular inerentes a qualquer atividade física.

Esse projeto propõe um estudo de vários ritmos que são dedicados ao feminino para atingir esse grau de liberdade e disponibilidade corporal para viver a dança de forma prazerosa e transformadora.
• Danças Circulares
• Dança do Ventre
• Dança Flamenca ligada ao feminino
• Danças Africanas
• Dança Criativa

Os encontros terão início na quinta –feira dia 07 de Marco de 2019, como um presente pelo Dia Internacional da Mulher! Se presenteie! (09/03).

————————————-

Biografia da professora:

Formação Acadêmica:
Licenciatura em Dança;
Especialista em Projetos Sociais;
Especialista em Arte e Cultura Afro e Indígena brasileiras;

Experiência:
– 7 anos de experiência como professora de dança do ventre (em escolas e como personal);
– 6 anos como coreógrafa e bailarina no grupo Maracatu Truvão, em Porto Alegre;
– Simultaneamente, professora de escolas municipais atendendo a crianças de 6 a 9 anos;
– Criação e atuação como coreógrafa e bailarina do grupo Kwanzaa Danças Brasileiras que teve duração de 4 anos, sendo incorporado pela Secretaria de Educação no ano de 2016.

Ferramentas Complementares:
– Reikiana
– Taróloga

Publicado em

Tem dor e incapacidade no ombro?

ombro

A capsulite adesiva é uma doença no ombro em que os pacientes podem reportar dor e um quadro de incapacidade de realização das tarefas diárias”. 

Esta frase foi o mote para último artigo publicado, um caso-estudo em que explicito sequencialmente a abordagem utilizada na condição clínica de um “ombro congelado”. A intervenção revelou-se um sucesso e, em 16 semanas, a ausência de dores e a recuperação da funcionalidade do ombro foram uma realidade.

O artigo tem o título A Specific Multi-Approach Intervention for Adhesive Capsulitis: A Case Report, encontra-se em publicação pelo Journal of Exercise, Sports & Orthopedics, e tem co-autoria do Ft. Bob Donatelli e do Phd José Parraça. Pode lê-lo aqui.

Abraço,

Rodrigo Ruivo

Investigador no Laboratório de Comportamento Motor, FMH

Rodrigo Ruivo é autor do Novo Manual de Avaliação e Prescrição de Exercício, da Editora Self.

P.s. – Ruivo RM, Donatelli R, Parraca JA. et al. (2017) A Specific Multi-Approach Intervention for Adhesive Capsulitis: A Case Report. J Excer Sports Orthop 4(3):1-7.

 

Publicado em

A Beleza Natural

beleza
A Beleza

Na nossa vida quotidiana, encontramos, inevitavelmente, a palavra beleza. Se levantarmos os olhos enquanto fazemos compras encontraremos diversos corredores atafulhados de produtos que prometem tornar‑nos mais belos. Existem incontáveis revistas e websites dedicados à beleza, que nos ensinam diversas maneiras de perder peso, escolher o batom perfeito, criar olhos esfumados  e copiar as últimas tendências. Se pararmos e olharmos em volta, para a nossa cultura, o conceito de beleza parece muito importante. Mas o que é, exatamente, a beleza, e, quando pensamos nesta palavra, o que significa para nós?

Hoje, procura-se ir mais além da imagem e Beleza está relacionada com bem-estar por dentro e por fora. Deepak Chopra e Kimberly Snyder juntaram-se e criaram um programa baseado em seis pilares de vida saudável:

  • Alimentação
  • Cuidados com o corpo
  • Sono
  • Uma vida mais em sintonia com a natureza
  • Movimento
  • Espiritualidade
O livro, as receitas e os tratamentos caseiros

No livro Beleza Natural,  editado pela Self, os autores dão-nos receitas saudáveis e nutritivas, dicas para melhorar a nossa digestão, como desintoxicar ou proteger o nosso fígado e formas de reduzir os produtos químicos tóxicos, radiações e poluição no corpo.

No cuidado exterior, aprendemos a fazer tratamentos caseiros e outros cuidados com ingredientes naturais, para tratar desde o acne às rugas, passando pelo cuidado com o cabelo, unhas, entre outros.

O sono e o bem-estar

É importante percebermos a ligação entre o sono, a beleza e o bem‑estar. Os efeitos de um sono insuficiente passam por um maior envelhecimento, especialmente da pele, uma maior probabilidade de desequilibro hormonal, ansiedade e um sistema imunitário fragilizado. Segundo os autores é importante criar uma rotina e mecanismos que nos ajudem a dormir o número de horas que o nosso corpo necessita e um sono com qualidade.

Conectarmo-nos com a natureza, fazermos algum exercício e meditação são algumas práticas que nos ajudarão a atingir a saúde plena e a sentirmo-nos bem e bonitas, por dentro e por fora.

A Beleza Natural tem a ver com ver‑se a si mesmo na luz, que é onde todos os pensamentos positivos têm origem.

O espírito nunca se esqueceu da forma como você é, e sempre foi, bela.

 

 

Publicado em

Estratégias para curar a ansiedade

ansiedade
O ataque

De repente o seu coração começa a bater descompassado. Sente-o a bater no peito, na cabeça e nas pernas. O barulho ritmado domina a sua atenção. Parece que o seu peito vai explodir.

Já alguma vez teve um ataque de pânico?

O suor reveste a palma das suas mãos. Sente um desejo de as sacudir – como se isso soltasse o sentimento desconfortável. Sacode-as. Uma sensação tóxica atravessa o seu estômago como uma estrela cadente. Sente-se doente. Não consegue respirar. Está a reagir a uma ameaça. Não de um feroz tigre-dente-de-sabre. Não, esta ameaça é psicológica. É ansiedade. Na verdade, nem é real.

Ou talvez tenha começado na sua cabeça desta vez. A sua mente está presa como um disco riscado, repassando obsessivamente um futuro imaginário. Está a tentar geri-lo. Mas o futuro não pode ser gerido. Os seus pensamentos ansiosos desencadeiam a resposta de luta / fuga, e o cortisol e a adrenalina fluem por todo o corpo. Eles causam a sua reação física, preparando-o para fugir daquele tigre. Mas na realidade está apenas sentado ali, a tentar lidar com o que está para vir, o que é impossível no momento presente, quando pensa nisso.

Então a sua mente capta o modo como os químicos o fazem sentir: o coração acelerado, as mãos suadas e o corpo trémulo. O pânico instala-se e a sua mente está a mil. E então mais químicos são libertados e sente-se ainda mais ansioso. Mais pensamentos ansiosos seguem-se e você entra numa espiral descendente até explodir num ataque de ansiedade total. Sente que vai desmaiar, ou pior, morrer.

O tigre da ansiedade comeu-o vivo. Mas pode aprender como recuperar o controlo. Pode libertar-se. Mesmo se a ansiedade for menos intensa. Acredite ou não, pode usar a sua ligação mente-corpo para superar a sua ansiedade.

Recuperar o controlo

Se já teve um ataque de pânico, sabe exactamente do que estamos a falar. Há quem já tenha tido vários e superou. Ansiedade social, ansiedade generalizada, perturbação pósstress traumático (PPST) , agorafobia, ataques de pânico, assim como medo de cães ou medo falar em público, etc. E foi usando as ferramentas de que falamos mais abaixo e percebendo o modo como o seu corpo funciona que as permitiu libertar-se. É um verdadeiro triunfo da mente sobre a matéria que requer confiança e, além disso, uma ligação com o corpo físico. Quando usamos as nossas mentes para nos conectarmos com os nossos corpos, podemos controlar o sistema nervoso e, por sua vez, a nossa ansiedade.

Agora é a sua vez. Da próxima vez que sentir ansiedade ou se aperceber do seu pensamento ansioso, tente estas cinco coisas.

A playlist contra ataques de ansiedade
  1. Esfregue a barriga.

A ansiedade está no futuro e os nossos corpos estão no presente. Então, quando fazemos algo físico, algo no “agora”, temos uma maior capacidade de afastar a nossa atenção da ansiedade no futuro e colocá-la no momento. Podemos começar usando o corpo como âncora.

Experimente esfregar a barriga, ou as mãos ou as coxas. De seguida, traga a sua atenção para o local onde as mãos encontram a barriga. Quando se concentra nesta conexão física, está a salvo de pensamentos ansiosos e está focado no momento presente. Pode parecer estranho ao início, mas quanto mais tentar isto, mais facilmente conseguirá deixar ir os pensamentos ansiosos.

  1. Respire fundo três vezes.

Concentrar-se na respiração talvez seja a melhor maneira de sair da espiral do pensamento ansioso porque a nossa respiração está sempre no momento presente, e respirar profundamente ativa o nosso sistema nervoso parassimpático, que literalmente acalma os nervos. É o nosso sistema nervoso simpático que nos leva a “lutar ou fugir” e sentir os sentimentos ansiosos através da libertação de adrenalina e cortisol. E ativar o nosso sistema nervoso parassimpático interrompe o sistema nervoso simpático e interrompe a libertação adicional dessas substâncias químicas que se manifestam como ansiedade.

Inspire profundamente pelo nariz. Concentre-se no ar que vai entrando por ele adentro. De seguida, ponha a sua atenção no ar que vai saindo das narinas enquanto expira. Tente fechar os olhos e ver se isso o ajuda a concentrar-se mais na respiração. Continue a esfregar a barriga se isso estiver a ajudar. Quanto mais respirações profundas e conscientes fizer, mais estará a guiar o corpo para se acalmar.

  1. Conte as respirações.

Vamos espreitar os nossos cérebros por um segundo. Quando é ativado, o nosso centro emocional – a amígdala – está essencialmente a  sobrepor-se à nossa área racional e lógica do cérebro (o neocórtex). Assim, durante essa reação de luta ou fuga, quando os produtos químicos do stress estão a ser libertados, a nossa amígdala, de certo modo, “sequestrou” o  neocórtex. Para ajudar a travar esta inundação de químicos, precisamos de ativar o neocórtex. E tão simples quanto parece, contar é uma excelente maneira de fazer isso.

Então, ao respirar fundo, conte. Conte até 5 enquanto inala e continue contando até 10 ao expirar. Comece de novo com 1, 2, 3, 4, 5 na próxima inspiração e 6, 7, 8, 9, 10 na próxima expiração. Continue a contar e concentre-se na respiração, tendo a certeza de que estas simples ferramentas são a chave para parar a espiral descendente de ansiedade.

  1. Solte os seus músculos.

Quando as nossas mentes estão tensas, os nossos corpos ficam igualmente tensos. E vice-versa: um corpo tenso leva a uma mente presa. Então, quando conscientemente relaxamos o nosso corpo, também ajudamos a relaxar a nossa mente.

Por isso, solte os ombros, usando toda a sua atenção para os relaxar. De seguida, abra a boca e relaxe os músculos do rosto. Finalmente, procure no seu corpo qualquer tensão acumulada e vá relaxando cada zona à medida que o vai percorrendo.

  1. Aponte tudo.

Se a sua mente ainda está a mil, apesar dos seus melhores esforços, pegue numa caneta e papel e comece a escrever o que lhe vier à mente. Não se preocupe se as coisas fazem sentido; simplesmente deite tudo cá para fora, seja um fluxo de consciência, uma lista de tarefas para fazer ou um ensaio de 10 páginas. Obter no papel os pensamentos que lhe estão a surgir pode ajudar a libertá-los da sua mente. É especialmente útil escrevê-los fisicamente, em vez de os digitar (num computador por exemplo), porque o cérebro processa-os melhor.

Continue com as respirações profundas e conscientes. E com a contagem. E com o esfregar da barriga. Cada vez que as pratica, está a concentrar-se – a sua moeda mais valiosa – para o momento presente. Estas ferramentas estão a fortalecer o seu “músculo da atenção”, o que precisa de fortalecer a fim de reprimir a ansiedade e retornar ao presente. À medida que a sua capacidade de recuperação mental aumentar, aumentará também a sua liberdade mental.

Continue. O seu cérebro pode mudar. O nosso já mudou. Atire-se a eles, tigre!

 

Fonte: https://www.mindbodygreen.com

Publicado em

“O importante é ajudar a pessoa a criar ferramentas para si mesma” Conversas com Cristina Coelho

Estivemos à Conversa com Cristina Coelho, professora de Yoga. Para a Cristina o Yoga tornou-se o seu equilíbrio. Ao invés de uma filosofia, um modo de vida, o Yoga tornou-se parte de si.

Cristina, és Osteopata, especializada em osteopatia visceral, craniana, ginecológica, gestacional e pediátrica e és formadora e massagista de massagem terapêutica, desportiva, ayurvédica e indiana. Como é que nasce o teu caminho com o Yoga?

A formação de Massagem Ayurvédica (massagem originaria da India) abriu-me a mente e despertou a minha curiosidade sobre tudo o que vinha daquele país.

A própria massagem tem uma componente de alongamentos passivos que fazemos ao paciente, que vem de posturas de Yoga. Daí começar a pesquisar e escolhi tirar um curso de Professor de Yoga e Yogaterapeuta, inicialmente para utilizar as ferramentas que o Yoga possui para as minhas terapias.

Rapidamente comecei a dar aulas pois a vontade de poder passar o conhecimento e bem estar às pessoas à minha volta foi sempre uma preocupação minha.

Acho importante ajudar as pessoas com as minhas terapias, sejam elas consultas de Osteopatia ou massagem. Mas acho que o mais importante é não criar dependências, mas sim ajudar a pessoa a criar ferramentas para ela própria, para autoconhecimento.

Podemos dizer que o Yoga significa algo diferente de pessoa para pessoa? O que significa Yoga para ti?

O Yoga é sem duvida uma prática individual. Muita gente procura o yoga por razões físicas, outras emocionais, espirituais e algumas porque houve “um médico que disse que me faria bem” .

Cada pessoa tem o seu objetivo porque o Yoga é completo. Trabalha toda a componente física, mental e espiritual. A própria palavra Yoga significa “União”.

Para mim o Yoga foi o meu equilíbrio na minha vida. A prática de meditação diária, o trabalho físico das posturas aliado às técnicas de respiração, permite me todos os dias um autoconhecimento mais profundo, um equilíbrio emocional e mental, saúde e bem estar, e principalmente uma paz interior que hoje em dia não é fácil manter.

Às segundas e quartas dás aulas de Yoga, no nosso espaço em Carcavelos. Que benefícios, impacto pode ter a prática do Yoga na nossa vida?

A prática regular de Yoga tem imensos benefícios, mas eu resumiria da seguinte maneira: melhora o funcionamento do corpo e proporciona maior equilíbrio emocional, tranquilidade e alegria de viver.

Publicado em

Dores de cabeça: 7 dicas naturais para aliviar e prevenir a dor de cabeça

corpo

A dor de cabeça “comum” às vezes é negligenciada ou mascarada com um analgésico como a aspirina. Uma dor de cabeça é um bom indicador do que o nosso corpo está a precisar – talvez precise de mais oxigénio, de beber um pouco de água ou mudar a nossa alimentação. Podemos ter uma deficiência de vitaminas ou nutrientes ou uma sensibilidade alimentar que está a causar essa tensão acumulada.

As dores de cabeça podem ser desencadeadas por stress, fadiga, alergias, má postura, álcool, baixa quantidade de açúcar no sangue, hormonas, constipação e deficiências nutricionais. O nosso corpo diz-nos que algo precisa de mudar. Para ajudar reunimos 7 dicas, que incluem ervas, correção de postura, mudanças de dieta e muito mais, para lutar contra dores de cabeça de forma natural e saudável.

1. Hidratar

Deixe a caixa de comprimidos no armário e beba um copo de água. Os cientistas descobriram que beber regularmente água pode reduzir a gravidade das dores de cabeça e enxaquecas e ajudar a reduzir a necessidade de medicamentos prescritos. Em média, não bebemos água suficiente, e só isso pode causar dor de cabeça. Café, álcool, bebidas açucaradas, desidratam e devem ser evitados. Simplesmente beber água pode parecer muito óbvio ou simples para realmente funcionar como um remédio de dor de cabeça, mas pode, e muitas vezes faz.

2. Pimenta Caiena

Utilizar algo picante pode não parecer útil para a dor de cabeça, mas a pimenta caiena é reconhecida no reino dos remédios naturais para tratar dor e inflamação. O segredo por trás de seu sucesso reside num ingrediente chamado capsaicina, que inibe temporariamente a Substância P no nosso corpo(considerada a principal responsável pela transmissão dos impulsos dolorosos periféricos para o sistema nervoso central). Numerosos estudos, o primeiro em 1998 no The Clinical Journal of Pain, apoiam que quando aplicado topicamente na passagens nasais as pessoas sentem uma diminuição significativa das dores de cabeça, tudo isso graças à capsaicina.

Você precisará:

  • 1/4 colher de chá de pimenta de caiena
  • 100 ml de água morna
  • cotonetes

Instruções: Diluir a pimenta caiena na água morna. Molhe um cotonete na solução e agite-o para garantir que ele absorve. Aplique suavemente no interior de cada narina até sentir o calor. Pode ser um pouco desagradável no início. Quando essa sensação diminui, vai ver que a dor de cabeça está bem mais ténue.

3. Amêndoas

Em vez de uma pílula que tomamos quando temos uma dor de cabeça, vamos antes comer nozes. Para as dores de cabeça diárias, as amêndoas podem ser um remédio natural e uma alternativa mais saudável a outros medicamentos. As amêndoas atuam como um analgésico porque contêm algo chamado salicina, que é anti-inflamatório. Tente comer um punhado de nozes quando sentir que a dor de cabeça começa.

4. Fel da Terra

As dores de cabeça, particularmente as enxaquecas, podem ser aliviadas através do uso de Fel da Terra, também chamada de planta da febre. Quando estamos com uma enxaqueca, os nossos vasos sanguíneos estão a expandir-se e a pressionar os nervos. Está comprovado que a Fel da Terra relaxa a tensão/contração dos vasos sanguíneos, aliviando a pressão dolorosa. Também reduz a inflamação e a dor em geral com uma substância chamada partenolida, que tem resultados semelhantes a tomar uma aspirina diária, mas sem os efeitos colaterais.

Você precisará:

  • 30 grs. de flores frescas ou secas
  • 1 litro de água a ferver

Instruções: Adicione as flores frescas ou secas a 1 litro de água a ferver. Deixe durante 10 minutos e depois retire as ervas. Beba meia chávena duas vezes por dia conforme necessário.

5. Alongue, relaxe e respire

O nosso dia a dia é intenso e stressante. A nossa mente e corpo ficam sobrecarregados e reagem a isso com tensão acumulada nos músculos, geralmente na parte superior das costas, pescoço e ombros e muitas vezes acabamos com dores de cabeça. Para ajudar a controlar este efeito, tente algumas das seguintes dicas.

Faça ioga: o Yoga irá ajudar a sua mente a focar-se, vai alongar os seus músculos e ajudá-lo a soltar a tensão. Basta fazer alguns movimentos quando a dor começa, para ajudar, mas a melhor coisa a fazer é reservar alguns minutos por dia para praticar regularmente e evitar dores de cabeça antes de acontecerem.

Respire: Quando estamos em tensão o nosso corpo não aproveita ao máximo o oxigénio que inspiramos. Faça um esforço consciente para fazer respirações mais profundas, que começam no seu diafragma e preenchem seus pulmões. Isso aumentará o nível de oxigénio no sangue e ajudará a relaxar a mente e o corpo.

Solte os seus ombros: Fique consciente de como você carrega tensão nos seus ombros. Quando você pensar nisso, relaxe-os.

6. Aplique óleo de hortelã-pimenta

O óleo de hortelã-pimenta tem um efeito reconfortante quando sofre dor de cabeça, aliviando o desconforto e relaxando a sua mente. Pode ser aplicado em qualquer zona do corpo e tem um efeito quase imediato no alívio da dor. Se você tem uma pele sensível, tente diluir o óleo com um pouco de azeite ou água.

Você precisará:

  • Óleo de hortelã

Instruções: Aplique o óleo de hortelã-pimenta nas suas têmporas e na testa. Você vai sentir uma sensação de frescura ao aplicá-la. Respire profundamente e, se possível, encontre um lugar calmo para relaxar e beber um pouco de água fria.

7. Chá de Gengibre

A síntese de prostaglandina é um processo que ocorre em alguns animais (incluindo seres humanos) que fazem compostos lipídicos (gordurosos) dentro de suas células. Essas substâncias gordurosas são como pequenos mensageiros químicos que medeiam processos biológicos, como inflamação e alertando os neurônios para a dor. Certas enzimas provocam a síntese da prostaglandina, enquanto algumas drogas, como a aspirina, inibem a síntese. A raiz de gengibre, uma alternativa natural, inibe também a síntese da prostaglandina. Além disso, se você está com enxaqueca, isso pode ajudar a aliviar a dor. Simplesmente tome uma boa chávena de chá de raiz de gengibre e tente relaxar.

Você precisará:

  • 3 fatias de raiz do gengibre
  • 2 chávenas de água

Instruções: Cortar 3 fatias de um pedaço de raiz de gengibre. Misture suavemente os pedaços de gengibre na água e cubra, por 30 minutos. Use algo para remover os pedaços de gengibre e transfira para uma caneca. Beba lentamente e respire o vapor se quiser.

O mais importante é ouvir o seu corpo, perceber os seus sinais. Leve uma vida equilibrada e relaxe.

Fontes: www.foodmatters.com e www.everydayroots.com

 

Publicado em

A ciência por detrás de Meditação e Mindfulness

meditar

A Meditação e o Mindfulness tornaram-se moda quando celebridades começaram a revelar que estas duas práticas faziam parte da sua rotina. Meditar fazia parte de um estilo moderno, de sucesso e atual. Mas por detrás da meditação há estudos que comprovam cientificamente os seus benefícios.

Meditação é muito mais do que uma paisagem bonita, um ar sereno e desprendido. Cada sessão de meditação é sempre diferente. Depende do nosso estado de espírito, do ambiente que nos rodeia. E mesmo para quem  medita há muito tempo, há momentos em que meditar é só uns minutos de sossego, porque nesse dia, é o melhor que conseguimos. Meditar é hoje uma prática fundamental, com benefícios comprovados para o corpo e mente.

1. A meditação reduz o stress e a ansiedade

A meditação é incrivelmente eficaz na redução do stress e da ansiedade. Um estudo descobriu que as meditações reduzem significativamente o stress quando praticadas durante um período de três meses. Outro estudo revelou que a meditação reduz a densidade do tecido cerebral associado à ansiedade e preocupação. Se você deseja que seus níveis de stress diminuam, a meditação pode ser a resposta. Um estudo feito com indíviduos com distúrbios de ansiedade revelou que, após a prática de meditação durante algumas semanas, todos apresentavam uma redução significativa do seu estado de ansiedade.

2. A meditação reforça o sistema imunitário e reduz a pressão arterial

Acredite ou não, vários tipos de meditação, desde a atenção plena ao yoga, demonstraram fortalecer o sistema imunológico humano e torná-lo mais resistente a vírus e infecções. Por outro lado, estudo comprovaram que tanto a atenção plena quanto a Meditação Transcendental, reduzem a pressão arterial, melhoram a sua saúde cardiovascular e reduzem seu risco de doença cardíaca.

3. A meditação ajuda na prevenção e tratamento da depressão

De acordo com a American Psychological Association, o MBCT é um programa de 8 semanas que combina elementos de meditação e mindfulness com terapia cognitivo-comportamental. As pessoas em risco de depressão lidam com muitos pensamentos, sentimentos e crenças negativas sobre si mesmos, e isso pode levar facilmente para uma recaída depressiva. Foi realizado um estudo que concluiu que este programa ajuda a prevenir a recorrência da depressão tão efetivamente quanto a medicação antidepressiva.

4. A meditação aumenta a confiança e aceitação

Alguns estudos mostraram que a prática regular de meditação reduz significativamente os sentimentos de insatisfação corporal, vergonha e auto-estima. A meditação ajuda-nos a aumentar a nossa auto-compaixão e na apreciação do que somos. Reforçao nosso sentimento de conexão, pertença e empatia.

5. A meditação melhora a nossa disposição e reduz o cansaço

A meditação não só muda o cérebro, mas também altera a nossa percepção e sentimentos subjetivos. Um estudo descobriu que, após a prática de meditação, assistiu-se a mudanças nas áreas cerebrais ligadas ao humor e à excitação e e os participantes disseram sentir melhorias no seu bem-estar psicológico.

6. A meditação aumenta o foco e a facilidade de concentração

A investigação mostra que a meditação melhora a cognição e aumenta a sua capacidade de realizar tarefas que requerem foco. Um estudo testou diferentes tipos de meditação, incluindo Meditação Transcendental, Vipassana, Meditação Budista Tibetana, Meditação Sufi e Meditação Hindu, e descobriram que todos eles melhoram o foco em diferentes graus.
Num estudo de Harvard, os investigadores relataram que “as células cerebrais usam frequências particulares, ou ondas, para regular o fluxo de informações da mesma forma que as estações de rádio transmitem em frequências específicas. Após algumas semanas de meditação, verificou-se que os participantes mostravam mais atividade da frequência ritmo alfa. Esta frequência é particularmente ativa na camada mais externa do cérebro, chamado córtex, onde ajuda a reprimir sensações irrelevantes ou distrativas e a regular o fluxo de informações sensoriais entre regiões cerebrais.”

 

A parte mais difícil da atenção e da meditação é torná-lo um hábito diário. Já sabemos que é benéfico, mas ter a informação para essas práticas é muito diferente do que realmente se envolver nela.

Se você está curioso sobre  meditação, comprometa-se com uma prática diária. Comece com um prazo que você pode alcançar facilmente (por exemplo, 2-10 minutos por dia). Depois de praticar durante uma semana, reavalie e veja se gostaria de meditar mais (ou talvez mais curto). A prova mais poderosa de saber se estas práticas “funcionam” não é um estudo, mas uma experiência pessoal. Por isso, experimente e veja por si mesmo.
Publicado em

O ioga e o Ocidente: como escolher o estilo certo para si?

ioga

O Ocidente apaixonou-se pelo ioga. Vá, pelas posturas de ioga. Sabia que essa é apenas uma fração de todo o sistema, que engloba filosofia, alimentação, respiração, higiene, relacionamentos, entre muitas outras áreas da nossa vida?

A maioria de nós, ocidentais, conhece apenas aquilo que vê nos ginásios e estúdios de ioga: pessoas em poses estranhas, com roupas muito largas ou muito justas, em aulas que terminam com toda a gente aparentemente a dormir. O ioga é muito mais do que isso, mas neste artigo vou falar-lhe apenas das aulas, porque até aí há uma grande variedade.

Atualmente, há dezenas — atrevo-me a dizer centenas — de escolas de ioga por todo o país. Em que diferem? Na linha de ioga que seguem e no próprio professor. Experimente fazer uma aula com três professores diferentes e terá garantidamente três aulas diferentes. Então, como escolher? Normalmente, as escolas oferecem uma aula gratuita para que possa experimentar. O meu conselho: experimente várias escolas. Veja qual a aula em que se sente mais confortável. Quanto ao professor ou professora, além de ser importante saber a sua formação, é importante ver como ele se comporta numa aula. Dá orientações claras? Explica os benefícios e os riscos de cada postura? Corrige as posturas dos alunos para que não se magoem? Incentiva-os, ou pelo contrário, critica-os? E acima de tudo, tem respeito pelo corpo dos alunos?

Lembre-se, não somos todos iguais e nem todos vamos conseguir fazer esta ou aquela postura à primeira (e às vezes nem à vigésima ou centésima tentativa), e o professor tem de ter isso em conta e nunca obrigar o aluno a fazer algo para o qual não está preparado. Caso contrário, uma aula que devia ajudá-lo a relaxar e conhecer melhor o seu corpo pode resultar em lesões graves e duradouras.

Não se precipite e defina o seu objetivo: quer simplesmente descontrair? Quer começar uma prática física e espiritual? Quer ganhar força e flexibilidade? Quer avançar nas posturas e ver até onde pode levar o seu corpo? Pode conseguir tudo isto com o mesmo professor; o importante é que seja feito em segurança. Atualmente, há diversos estilos de ioga físico, todos derivados do clássico Hatha Ioga. Não vou aqui dissertar sobre todos eles, até porque pratiquei apenas o estilo clássico, mas posso dizer-lhe que há outros estilos mais recentes, como Ashtanga, Kundalini, Vinyasa, Yin Ioga, entre outros, que diferem entre si conforme a intensidade e o tempo das posturas. Como escolher o ideal para si? Experimente!

O ioga é uma experiência pessoal, não é uma moda. E por falar em modas, posso dizer-lhe que por todo o Ocidente há também quem ande a praticar ioga com cabras, varinhas do Harry Potter e até com um copo de cerveja na mão ou enquanto come nuggets de frango.

Estas variantes estão sem dúvida a anos-luz do ioga original e dos seus ensinamentos e há até quem argumente que não são ioga, de todo. Mas quem sou eu para lhe dizer que não as pratique?

Seja fiel ao que o seu corpo e a sua alma lhe pedem. Experimente, sinta, viva e… respire.

Namaste!

Publicado em

Águas Aromatizadas (dicas para beber água e hidratar o corpo)

Não bebo água. Não gosto de água. Esqueço-me de beber água. O corpo sente. Acreditem… o corpo sente. É um drama diário.

Desde os tempos de escolinha que aprendemos que o nosso corpo, dependendo do sexo e idade, é composto por 50% a 75% de água e que o nosso corpo perde muita água por dia através da pele, pulmões, urina e fezes. E não só no verão. Claro que com o calor essa perda é maior mas no inverno também existe perda de líquidos. Ora, depende da nossa cabeça restabelecer a ordem no nosso corpo.

Tenho vários truques para minimizar esta problemática na minha vida. E vou partilhar convosco alguns truques.

Descobri em conversas com amigos, não por uma mas por várias vezes, que não sou a única com este problema. Muitos me perguntam como faço para beber mais água. Água? Água bebo pouca. Bebo sim, muita água aromatizada. Chá e infusões. É melhor que nada. Certo?

Para que a coisa não descambe tento ter sempre em casa o que chamo os meus “hidra- básicos”:

  • Garrafa termo 1,5 Lt.;
  • Garrafas de vidro;
  • Limão/Lima;
  • Hortelã;
  • Gengibre;
  • Chás;
  • Infusões (Lúcia lima, erva príncipe, cavalinha, o que gostarem);

Águas aromatizadas

Garrafa de vidro. Juntar hortelã, uma rodela fininha de limão, lima e gengibre. Um só ingrediente, dois, três ou todos. Estes são os que mais gosto. Explorem o mercado. Juntar água. Reservar. Mais ou menos intensa depende do tempo em que está no frigorífico. Podem ir atestando. Os aromas aguentam bem três reforços de água. Tempo de execução? A sério? Querem mesmo saber se vão perder muito tempo a fazer…isto?

Chás ou Infusões

Se quiserem frio aconselho a fazer à noite. Se quiserem quente façam logo pela manhãzinha.
Quente é fantástico para ter no balcão da cozinha e ir bebendo durante o dia ou levar para a rua dentro de um termo. O termo exerce uma pressão que a garrafa de água não faz. Vai estragar chá? Não. Vai beber!
Frio é excelente durante o verão. No frigorífico. No termo para a rua. Aromatizado com limão, gengibre. Maravilha. Vai estragar chá fresquinho? Não. Vai beber!

Dica extra: Explorem as especiarias e sementes (anis, canela, cardamomo, cravinho, pimenta, bagas de zimbro, erva doce, cominhos, etc…) para além de terem benefícios extraordinários para a saúde dão ao vosso chá ou infusão um aroma extra muito especial.

Tenho outros hábitos.

Manhã. Assim que acordo, copo XXL de água morna com umas gotas de limão. Primeiro…estranha-se depois…entranha-se. Acreditem que depois de uns tempos não vão passar sem esta rotina. Já não sei há quantos anos tenho este hábito. Seguramente antes da palavra ”detox” existir no nosso dicionário.

Com este ritual matinal para além de estarmos a hidratar com a água o nosso corpito, o limão em conjunto traz benefícios extra. Desintoxica. O fígado absorve toxinas que adquirimos diariamente. Melhora a imunidade. Dado que a acidez do limão torna o sangue mais alcalino e reforça assim a sua resistência a doenças. E ainda. Auxilia na digestão, na eliminação de gorduras e no controle da pressão.

Noite. Preparo uma infusão digestiva. Bebo depois do jantar e até me ir deitar. Sobrou chá. De manhã está frio. Aromatizo com limão e mel. Reservo no frigorífico. Ice tea !

O importante é tentar sempre alternativas. Bebam água !!!!