Vamos começar por baixo: trabalhar em casa não é um mar de rosas.

Temos vindo a promover o teletrabalho porque nele vemos enormes vantagens, que são perfeitamente quantificáveis. Mas precisamos de manter três coisas claras:

  1. O teletrabalho não é sempre a escolha certa para a empresa.
  2. O teletrabalho nem sempre é a forma perfeita para o trabalhador.
  3. Existem desafios no teletrabalho.

Trabalhar em casa ou em qualquer lugar é, em si, uma escolha. Por vezes, trabalhar em casa não é a melhor solução. Então, necessitamos de escolher outro lugar para trabalhar. Se em casa não conseguirmos reunir as condições que permitam vencer os desafios, significa que não está a funcionar.

Criar condições para trabalhar passa por:

  • Criar uma zona de trabalho adequada ao tipo de trabalho. Se precisas de documentos, precisarás de uma forma de os organizar e ter à mão.
  • Se precisas de monitores grandes, não podes trabalhar na sala de jantar. Precisas de um lugar onde não percas constantemente tempo a desmontar e montar o teu setup.
  • Se precisas de fazer muitas reuniões, não podes fazê‑lo no mesmo lugar onde o teu filho tem aulas online ou onde a tua companheira(o) está também em reunião. 
  • Compra uma cadeira adequada para trabalhar e onde possas estar várias horas. As cadeiras da mesa de refeição não são adequadas para passar muitas horas sentado.
  • O hardware tem de ser adequado. Investe nas condições de que precisas. Quando o equipamento não é adequado, é muito fácil aumentar a frustração.

(…)

Princípio: Começa e acaba o teu dia

Isto parece dolorosamente óbvio, mas a maioria das pessoas não o faz. Começa e termina o teu dia de trabalho. isto é, cria um tipo de estímulo mental para indicar quando estás “no trabalho” e quando estás “desligado”.
Se não começares o teu dia a tratar isto como trabalho, estás apenas em casa. Com o trabalho a distrair‑te constantemente da tua vida. Rituais matinais, como sejam tomar banho e vestires‑te como se fosses para o escritório podem ser importantes para ti. Os sapatos fazem também uma grande diferença. Calçamos sapatos para ir trabalhar e tiramo‑los quando chegamos. Um simples sinal tal como calçar sapatos ou fazer um caminho falso para o trabalho.

como uma caminhada à volta do quarteirão. Cria espaço para fazeres a transição.
O mesmo se aplica no final do dia. Pode ser tão simples quanto passar 15 minutos a rever os itens que tens abertos, a responder a e‑mails e mensagens instantâneas urgentes, a fechar janelas e a rever o teu calendário ou a criar a lista de afazeres do dia seguinte. Finge um trajeto para casa. Escolhe um podcast de 10 minutos, caminha pelo quarteirão e volta. Faz um telefonema pessoal. Agenda uma aula de yoga ou uma marcação para te forçar a sair de casa à mesma hora.
Esta disciplina mental irá ajudar‑te a estabelecer melhor os limites e irá garantir que o trabalho não invade a tua esfera pessoal.

Princípio: Limites criam liberdade

Há alguns benefícios incríveis de trabalhar remotamente, mas só podemos chegar lá se formos responsáveis. Defino responsabilidade como habilidade de ação. Quanto mais flexível quiseres ser no que toca a fazer pausas e a trabalhar no teu próprio horário, mais responsável tens de ser nos teus hábitos e estrutura. Precisas de limites mais claros e regras mais rígidas para o trabalho em concreto, e o resto ficará mais fácil.
Queres poder dormir uma sesta curta? Cumpre prazos e participa em reuniões. Queres ir trabalhar para a praia? É melhor seres bom a comunicar a tua disponibilidade e a responder na hora.
Se não existirem fronteiras claras entre o trabalho e o resto da tua vida, acabas por te sentir acorrentado ao e‑mail de trabalho e constantemente “ligado” e disponível.
Isto é meio caminho andado para te sentires esgotado, por isso traça alguns limites.

Princípio: Não te esqueças de que és humano

Ouve o teu corpo
Para seres capaz de pensar e executar, as necessidades do teu corpo precisam de estar asseguradas. Isso significa ter almoços em condições (ou seja, longe do computador), lanches saudáveis, beber muita água, fazer exercício algumas vezes por semana e dormir em condições.
Deixa a tua mente recarregar
Faz uma pausa a cada 45‑50 minutos. O cérebro só se consegue focar no máximo até 52 minutos. Por isso, ao fim desse tempo, levanta‑te, anda pela sala e volta – isto pode ser o suficiente para recarregares baterias. Ao contrário de um escritório, estar em casa significa que ninguém te julga se precisares de uma sesta de 15 minutos. Isto é muito mais saudável do que beber uma bebida energética ou exagerar na cafeína.

No livro TELETRABALHO, Self 2020

Related Post